Ads Top

Pesadelo-394176_960_720.jpg


 Sonhei que te amava,


e que seu amor não era meu,


a angustia era tamanha,


o meu corpo é que sofreu,


a escuridão se instalou,


o medo me consumiu,


os olhos não acreditaram,


nos braços de outra te viu.


 


Teus olhares não eram meus,


teu beijo não me pertencia,


Perdi o controle sobre mim,


gritava e ninguém me ouvia,


uma realidade estranha,


num desespero sem fim,


corria ao teu encontro,


sem nunca chegar enfim,


 


O sofrimento era tão real,


chocante e aterrador,


não existir para você,


era um filme de terror,


senti o meu corpo a cair,


lentamente  em um espaço sem fim,


cada segundo era eterno,


dos ciúmes que tinha de ti,


 


Acordei assustada,


ao meu lado você estava,


nunca sentira tamanho alivio,


enquanto eu te beijava.


em prantos contei te tudo,


entre soluços e palavras,


me abraçavas a repetir,


que por outras não me trocavas.

7 comentários:

  1. Este poema teve um final feliz!

    ResponderEliminar
  2. Pesadelo enorme esse.
    Felizmente ainda acordamos deles, o pior é quando isso não acontece.
    Adorei o poema.

    ResponderEliminar
  3. As vezes eles acontecem, beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Nem que seja na nossa imaginação!

    ResponderEliminar

http://www.pocahontascomestilo.com/ não se responsabiliza por danos, prejuízos, mau uso ou qualquer. Com tecnologia do Blogger.